El Conde De Torrefiel / La Posibilidad [Estreia Nacional]
Acerca do Evento Nome
El Conde De Torrefiel / La Posibilidad [Estreia Nacional]
Data
Local do evento
Teatro Municipal Rivoli
Detalhe do Evento Valor do Bilhete
A partir de € 10,00
Duração
1:15
Distrito
Porto
Concelho
Porto
Classificacao
M/16
Locais de Venda
Destinatários: Público interessado nas Artes Performativas profissionais e estudantes
Número máximo de participantes: 15
*Gratuito mediante apresentação  de bilhete para para o espetáculo e com inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência)

///
ENCONTRO • QUA 22 MAR / 11H00 • Rivoli
Com alunos de Artes Performativas

///
EU TAMBÉM VOU! • SEX 24 & SÁB 25 MAR
"Paisagens"
Com Ricardo Barbosa
Serviço de babysitting performativo mediante marcação prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência)

Teatro Rivoli
Terça a Sexta 13h00 – 22h00
Sábado 14h30 – 22h00
Domingo - Encerrado exceto em dias de espetáculo
Em dias de espetáculo a bilheteira mantém-se aberta até 30 mins. após o início do mesmo.
Tel. 22 339 22 01
bilheteira.tmp@cm-porto.pt
"La Posibilidad que Desaparece Frente al Paisaje”, em estreia nacional em Portugal, é um espetáculo para ser lido e pensado, criado com base num livro aberto, onde o imperceptível mundo de atmosferas, pensamentos e memórias são descritos.
O ambiente é organizado como um modelo, um jogo ingénuo de agradáveis e frágeis representações. Num primeiro momento, um palco vazio surge perante o público, onde um ecrã de grandes dimensões leva o público por uma viagem narrativa ao longo de dez cidades europeias.
Dez paisagens que dirigem o público para a escuridão e para os territórios violentos da mente das pessoas. Segue-se uma voz feminina e quatro intérpretes em movimento, onde as ações não aparecem ligadas ao texto falado e/ou projetado. O espetáculo é apresentado numa escala elegante e inofensiva, uma sala de jogos onde quatro pessoas são capazes de transcender o sentido das suas ações, desconstruindo os ditames do chamado "comportamento regular”. Elabora um mapa comportamental composto por uma estética apurada, por baixo da qual se esconde a terra selvagem da mente, um território de perversão e medo, onde as leis morais são fracas e não controlam o carácter humano descontrolado.
///
El Conde de Torrefiel é um projeto de Barcelona, encabeçado por Tanya Beyeler (Suíça, 1980) e Pablo Gisbert (1982). Ambos estudaram Teatro e Filosofia, mas sempre se interessaram por música e dança contemporânea, tendo colaborado, com regularidade, com a companhia de dança La Veronal no trabalho dramatúrgico. São, hoje, dramaturgos, músicos, performers e videastas / realizadores. As suas criações – com assinatura da sua companhia – são marcadas pela componente textual e visual, onde o teatro, a coreografia, a literatura e as artes visuais coexistem. A companhia iniciou a sua atividade em 2010 com o espetáculo "La Historia del Rey Vencido por el Aburrimento”, tendo apresentado os seus trabalhos por toda a Europa.
///
CONVERSA PÓS-ESPETÁCULO • SEX 24 MAR
Com FÁTIMA VIEIRA
Especialista sobre Utopia da Universidade do Porto

///
WORKSHOP
QUA 22 MAR / DAS 18H30 ÀS 20H30 • Sala de Ensaios • RIVOLI
"Dramaturgia Nas Artes Performativas Contemporâneas"
O que significa a dramaturgia num espetáculos contemporâneo? Este workshop tem como objetivo observar as possibilidades de desenvolvimento, contextualização e execução de uma ideia, de forma a estruturar a criação e a entender a composição dramatúrgica que as consolida.

///
FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA
Conceção: El Conde de Torrefiel com a colaboração dos performers
Direção e Dramaturgia: Tanya Beyeler e Pablo Gisbert
Texto: Pablo Gisbert
Desenho de Luz: Octavio Más
Cenografia: Jorge Salcedo
Música: Rebecca Praga e Salacot
Som: Adolfo García
Coreografia: Amaranta Velarde
Interpretação: Tirso Orive Liarte, Nicolás Carbajal Cerchi, David Mallols, Albert Pérez Hidalgo
Imagens: Claudia Pajewski, Ainara Pardal
Coprodução: Festival TNT Terrassa, Graner Espai de Creació de Barcelona, El Lugar sín Límites / Teatro Pradillo / CDN Madrid
Com o apoio de: Programa IBERESCENA, La Fundición de Bilbao, ICEC – Generalitat de Catalunya, Antic Teatro de Barcelona, Institut Ramón LLull
Comentários (0)